As origens das técnicas

Existem técnicas avançadas de aprendizagem que estão enraizadas na história passada e que foram desenvolvidas e melhoradas até os dias de hoje. Já no ano de 55 a.C., o escritor, político e filosofo romano Marco Túlio Cícero explicou em seu livro “De Oratore” (tradução do latino: “Sobre o Orador”)  algumas técnicas que ele utilizava para memorizar os longos discursos que fazia no senado. Essas técnicas foram evoluídas e melhoradas, unindo-se a estratégias modernas e mais eficazes como os mapas mentais (“mind mapping” de Tony Buzan) e as técnicas de leitura dinâmica.

origens-featured-image1

Topo

Clique para ler mais

Simonide di Ceo

Simônides de Ceos
(Grécia Antiga, 556 a.C. – 468 a.C.)

Simônides de Ceos foi um poeta grego do período arcaico. O professor de retórica romano Quintiliano comenta que Simônides foi a primeira pessoa a descobrir a arte da memória e toda uma tradição atribui-lhe a invenção da Mnemotécnica.
Até Simônides a Memória era considerada somente uma doação divina, uma função de caráter religioso. Eram as musas a permitir a memória, através de uma visão imediata, fornecida por essas deusas, o poeta entrava no além e atingia o invisível. Desta maneira os poetas, os escritores e os cantores conseguiam lembrar dos fatos que iriam contar. A palavra “mnemotécnica” deriva deste conceito, sendo Mnemôsine o nome da mãe das musas.
Com Simônides a memória torna-se, portanto, uma técnica secularizada, uma faculdade psicológica que cada um exerce mais ou menos segundo regras definidas, ao alcance de todos. É o instrumento que contribui para o aprendizado de um ofício.
Aprofunde os conteúdosConheça os cursos A+ Aprender+

Clique para ler mais

Marco Túlio Cícero
(Roma Antiga, 106 a.C. – 46 a.C.)

Marco Túlio Cícero foi um filósofo, orador, escritor, advogado e político romano. No seu livro “De Oratore” (tradução do latino: “Sobre o Orador”) ele explicou algumas técnicas utilizadas para memorizar os longos discursos que fazia no senado.
A técnica mais famosa dele é chamada “Os Lugares de Cícero”, e a marca dela ainda fica na maneira de falar dos dias de hoje: “em primeiro lugar…… em segundo lugar…. etc”. Esta técnica foi desenvolvida e melhorada até os dias de hoje.
Aprofunde os conteúdosConheça os cursos A+ Aprender+

Clique para ler mais

Giordano Bruno
(Itália, 1548 – 1600)

Giordano Bruno foi teólogo, filósofo, escritor e frade dominicano italiano, perito na mnemotécnica, a arte de desenvolver a memória. Ele conseguiu encontrar um código para criar associações entre qualquer coisa que precise ser memorizada. Sua cultura foi ampla, seus conhecimentos muito divulgados e ele sempre ensinou as mnemotécnicas na vida dele, também para bispos em Roma e o rei Enrique III em Paris. Em Paris ele escreveu o livro “De Umbris Idearum” onde ele descreve sua teoria filosófica, explicando as bases das técnicas mnemônicas que ele utilizava.
Aprofunde os conteúdosConheça os cursos A+ Aprender+

Clique para ler mais

Gottfried Wilhelm von Leibniz
(Alemanha, 1646 – 1716)

Gottfried Wilhelm Leibniz foi um filósofo, cientista, matemático, diplomata e bibliotecário alemão. Ele ajudou a divulgar a conversão fonética, criada por Mink Von Wennsshein no ano de 1648. Esta conversão consiste em um código que permite memorizar rapidamente qualquer informação numérica.
Aprofunde os conteúdosConheça os cursos A+ Aprender+

Clique para ler mais

Ivan Petrovič Pavlov
(Rússia, 1849 – 1936)

Ivan Petrovič Pavlov foi um cientista fisiólogo russo. Ele teorizou sobre o reflexo condicionado. Essa descoberta abriu caminho para o desenvolvimento da psicologia comportamental e mostrou ter ampla aplicação prática, inclusive no tratamento de fobias e nos anúncios publicitários, entre outras aplicações da medicina e ciências cognitivas.
Nos cursos A+ Aprender+ o reflexo condicionado é utilizado nas técnicas de concentração e gestão da emotividade, ao fim de conseguir voltar num estado de concentração e relaxamento quando precisar.
Aprofunde os conteúdosConheça os cursos A+ Aprender+

Clique para ler mais

Royal Air Force

Royal Air Force
Forças aéreas britânicas
(Segunda Guerra Mundial)

As raízes do ensino da leitura dinâmica estão nos estudos feitos na segunda guerra mundial pelas forças aéreas britânicas, a fim de reconhecer com rapidez os símbolos e as cores dos aviões inimigos. Estes estudos furam desenvolvidos com um instrumento chamado taquistoscópio e desde 1960 foram aplicados também para potencializar a leitura. Desde então, as técnicas de leitura dinâmica foram desenvolvidas e ampliadas com outras descobertas e instrumentos. Hoje, a Leitura Dinâmica é ensinada em todo o mundo, para muitas categorias de pessoas e aplicações.
Aprofunde os conteúdosConheça os cursos A+ Aprender+

Clique para ler mais

Maxwell Maltz
(EUA, 1899 – 1975)

Maxwell Maltz foi um cientista americano que desenvolveu a psico-cibernética, um sistema empregado para melhorar a autoimagem e a autoconfiança, de modo a conduzir a uma vida bem sucedida. Estes estudos se baseiam no fato que a mente não faz diferença entre uma experiência imaginada intensamente e uma realmente vivida. Este elemento está nos fundamentos da visualização criativa e é utilizado nas técnicas de memorização.
Aprofunde os conteúdosConheça os cursos A+ Aprender+

Clique para ler mais

Tony Búzan
(Inglaterra, 1942)

Tony Búzan é a autoridade mundial sobre aprendizagem, memória e uso do cérebro. Os seus livros já venderam muitos milhões e estão disponíveis em 100 países e traduzidos em 30 línguas.
Ele é o inventor dos Mapas Mentais, uma revolucionária ferramenta usada por mais de 250 milhões de pessoas para ajudar a conseguir libertar o potencial do cérebro.
Os Mapas Mentais são diferentes dos mapas conceituais, pois eles conseguem utilizar ambos os hemisférios do nosso cérebro e estimulam a síntese e a visão global, mais do que os mapas conceituais.
Aprofunde os conteúdosConheça os cursos A+ Aprender+